topo
Voltar

Contábil Sumaré: Curso SURF na USP / Administração, Marketing e Gestão de Negócios

O tema da palestra do Curso Surf: Administração, Marketing e Gestão de Negócios, que aconteceu na Escola de Educação Física da USP, mostrou os assuntos “Legislação e Responsabilidade Social”. Os convidados Rogerio Buzatto Rodrigues, conhecido como Lalau, e Robson Careca, traçaram novas vertentes do Surf e ações que podem ampliar a atuação dos profissionais dentro do mercado.

Rogerio Lalau é bacharel em ciências contábeis e atua hoje como diretor da Contábil Sumaré, sendo também mentor e manager da CS Team. Com essa experiência, Rogerio pôde mostrar como o conhecimento na economia mundial e a construção de um planejamento de carreira diferenciam os profissionais. O planejamento tributário é um dos pontos em destaque e cria um entendimento para os interessados em empreender bons negócios. Capacitação em estudos e informações de como o país está organizado em leis e distribuição de renda, pode abrir portas para o crescimento de uma empresa, mas principalmente para o posicionamento desse profissional no mercado.

O palestrante ainda apresentou dados do Fórum Econômico Mundial que destrincha a economia brasileira, que qualifica a nação como o 6º maior PIB do mundo, entre 142 países, além de ser também uma economia interna forte. Sem dúvida, o que desperta para o perfil do povo brasileiro, que trabalha empreendendo seu próprio negócio e crescendo para o seu próprio país. Exatamente o olhar que é preciso para o mercado crescente do Surf, onde a indústria se beneficia, mas também a economia de outras empresas fora do segmento, que se apropriam da imagem do esporte. Um mercado aberto e dependente de atuação capacitada

Em seguida, a palavra passou ao surfista Robson Careca, que mostrou um mundo ainda pouco conhecido para o mercado Surf e também para o Brasil. A luta pela conquista da acessibilidade no país é grande e Robson trabalha com o Surf adaptado e mobilidade para pessoas com deficiência. O Projeto Mão na Borda criou metodologias e encantamento ao escolher a inclusão. São novas experiências com o Surf de remada, travessias oceânicas e mesmo com prazer no contato com a natureza.

São 25 milhões de PCDs – pessoas com deficiência, no Brasil. Os gastos são altos, além de uma busca constante da família para a qualidade de vida dessas pessoas. Um nicho crescente e que tem descoberto nos esportes de ação o prazer de viver, de encontrar uma nova oportunidade dentro desse convívio. Para o mercado, pessoas interessadas em consumo na área do turismo, da gastronomia, de tecnologia e equipamentos, ou seja, pessoas dispostas a consumir produtos e serviços, criando novas frentes de trabalho para profissionais interessados em se capacitar para atuação nessa área.

Ao final, o filme “Surf Adaptado Aloha” foi exibido e prendeu a atenção da plateia. Personagens como Jojó de Olivença e Taiu Bueno experimentaram novas sensações e compartilharam suas experiências, em um roteiro emocionante.

E por falar em arte, na exposição dessa semana, a versatilidade do artista Rafael Veiga. O resultado são trabalhos impecáveis. Suas canetas dão vida a todo tipo de superfície,com obras influenciadas pela cultura surf, misturadas com o graffiti urbano e elementos culturais. A curadoria da Exposição Surf Art é de Fernando Bari do portal CabecaFeita.com e a cada aula, obras ficarão expostas, com a finalidade de ampliar a visão da cultura do Surf para os participantes.

No dia 12 de junho, o palestrante foi Rogério Bocuzzi, graduado em Comunicação Social e pós em Gestão de Marketing de Serviços. Hoje, Rogério Bocuzzi ocupa o cargo de Gerente de Marketing da Quiksilver. Com uma vasta experiência no mercado Surf, já atuou na Produtiva Editora (Revista Venice), Editora Abril (Super Surf), Trip Editora e Propaganda, entre outras.

Fonte: Site Ibrasurf